Nota a respeito do reservatório do Ribeirão João Leite

O Sindicato dos Engenheiros no Estado de Goiás – Senge-GO no uso de suas atribuições estatutárias, vem a público, manifestar seu repúdio às possibilidades de flexibilizar o Plano de Manejo da Área de Preservação Ambiental do Ribeirão João Leite (Apa João Leite).

O reservatório do Ribeirão João Leite começou a ser pensado, há 30 anos, quando a população de Goiânia era de 400 mil habitantes. Hoje a  Região Metropolitana possui mais de dois milhões de habitantes.

Como abastecer, com água, tamanha população?

A obra do Sistema de Abastecimento de Água João Leite foi iniciada, há doze anos, e ainda não está concluída. Ela destina-se ao abastecimento da Região Metropolitana ad eternum. A partir de uma população acima de três milhões de pessoas, necessita-se desta e de mais outras fontes de abastecimento para a região. Onde buscar mais água? É muita responsabilidade para com as gerações futuras e não se pode brincar com a questão.

Diante de tantas pressões para ocupação da área, com expansão para loteamentos, implantação de Eixo Tecnológico e outros usos que podem comprometer a preservação da água de abastecimento público da Região Metropolitana e, sem outras alternativas para tal e muita escassez de recursos financeiros para os investimentos, o Senge-GO, em consonância com sua responsabilidade social e política não pode se omitir frente a esta absurda intenção que, absolutamente, não atende ao interesse público.

A sociedade goiana precisa saber e se colocar contra mais esta tentativa de manipulação da opinião pública a respeito de um recurso tão escasso hoje, quanto a água, que só tende a agravar-se no futuro. Não são necessários muitos argumentos, tomemos como exemplo o que está acontecendo em São Paulo. Vamos permitir que Goiânia viva, amanhã, o que São Paulo vive, hoje? Será que não temos nenhuma preocupação quanto ao futuro de nossos filhos, netos e seus descendentes?

As autoridades responsáveis precisam se posicionar sobre o tema, pois não é uma questão puramente técnica, mas especialmente política, por isso o Senge-GO apela às mais altas autoridades governamentais do Estado e ao Ministério Público, no sentido de não deixarem que se perpetue este desatino contra o povo goiano e, caso não o façam, desde já, repudia, também, esta inominável  omissão, em relação ao interesse público, que tanto juram defender.

(Diretoria do Sindicato dos Engenheiros no Estado de Goiás- Senge-GO)

Fonte: Diário da Manhã

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *