conexao

Rede de Comunicação AMARBRASIL conecta a sociedade às causas sociais

Os internautas podem se cadastrar por meio do site da ONG e ajudar na divulgação dos problemas e soluções sobre doação e transplante de órgãos no Brasil. 

Informações corretas podem salvar milhares de vidas. E, a AMARBRASIL, juntamente com  PULSARVIDA, sabem que quanto mais pessoas souberem e conhecerem sobre os problemas e soluções do Sistema Nacional de Transplante, melhor será sua atuação. Por isso, está formando a Rede de Comunicação para divulgação de informações relevantes sobre essa e outras causas.

Para se ter ideia, a lista de espera por um órgão só aumenta a cada ano. E, qualquer um de nós somos potenciais candidatos a fazer parte dela, ou até nossos parentes.

Anualmente 56% dos órgãos doados são jogados no lixo, porque não chega a tempo para serem transplantados nos pacientes e, milhares morrem na esperança do transplante.

Quando o problema é compreendido, ele entra na pauta social e a busca de soluções se impõe. A questão do transplante no Brasil, seu significado social, sucessos e fracassos precisam ser de conhecimento de todos.

Você é importante para está e outras causas da AMARBRASIL. Ajude na divulgação sobre a doação e transplante de órgãos no Brasil. Assim, dúvidas e boatos serão sanados, quanto mais pessoas souberem dessa nobre causa, mais vidas podem ser salvas.

Podemos contar com você? Faça seu cadastro aqui.

computer-1185637_640

Podemos contar com você?

Ajude-nos a PULSAR VIDA, fazendo parte do projeto.

Este processo começa pela informação consistente, verdadeira e aberta. Todos precisam saber! Quando o problema é compreendido, ele entra na pauta social e a busca de soluções se impõe.
Por isso, precisamos apenas de um tempinho seu, aí no seu computador ou celular, para nos ajudar, compartilhando ou encaminhando para nós informações.

A questão do transplante no Brasil, seu significado social, sucessos e fracassos precisam ser de conhecimento de todos.

A AMARBRASIL se dispõe, em colaboração com outros órgãos e entidades da área, a iniciar este processo. E você quer fazer parte?
Fale com a gente pelo contato@amarbrasil.org.br

IMG_20160812_173928160

 AMARBRASIL recebeu comissão de Aragoiânia contra aterro

As lideranças e comunidade rejeitam a instalação e operação da Resíduo Zero no município. Cujo objetivo da empresa é tratar o lixo proveniente de outras cidades.

A população de Aragoiânia fará um ato publico contra a instalação de um aterro sanitário no município. O pároco e presidente da Casa Comum de Aragoiânia, Alaor, junto com outros lideres reliogiosos das igrejas evangelicas, da maçonaria e população entraram com representação no Ministério Publico. E, neste sábado, 20 de agosto, a partir das 16h farão manifestação na Praça Central contra a instalação e operação da empresa Resíduo Zero.
Entre as denúncias, o padre apontou inúmeros falhas na liberação para instalação do empreendimente, como o alvará emitido pela Prefeitura de Guápo, colocando a área de 108km pertecente aquele município. “No local possuem 16 nascentes que abastecem a cidade de Guápo e é importante também para Aragoiânia, a instalação do aterro sanitário pode contaminar o solo e assim o lençou freático”, argunta Alaor.
Com a ação do MP, a obra da emprasa está paralisada, mas assim mesmo a população que chamar a atenção para a necessidade em conservar o meio ambiente e exigir que o local seja desapropriado e passe a ser aérea de preservação.

ultima-mao

Voluntário! Você é uma pessoa solidária?

Pedimos apenas um pouco do seu tempo nas redes sociais para divulgar informações que podem ajudar milhares de pessoas.

A AMARBRASIL é uma entidade não governamental sem fins lucrativos que não está associada a partidos políticos e nem recebe verbas governamentais para o seu funcionamento. Assim se mantém totalmente independente.

Projetos                                                                               

A instituição desenvolve no momento dois projetos. O Projeto PULSAR VIDA que tem como objetivo a melhoria e o aumento de transplantes de órgão e tecidos no Brasil. O outro é Projeto Paternidade AMARBRASIL, que visa qualificar a investigação judicial de paternidade.

Como ajudar

A estratégia principal dos dois projetos é a informação e divulgação em massa junto a  comunidade.  Por exemplo, o Dia Nacional de Doação de Órgãos, 27 de setembro, quando será feito uma campanha nacional para aumentar o número de doadores. Mas não bastam campanhas esporádicas sobre doação e transplante de órgãos e tecidos. As campanhas tem que ser permanentes.

Por isso, estamos formando uma rede de voluntários e ativistas nas mídias sociais para divulgação, não da AMARBRASIL, mas sim dos problemas e das soluções para transplantes no Brasil. Faz parte do trabalho promover a informação para facilitar a obtenção da identidade paterna, situação que atinge entre 17 e 20 milhões de brasileiros.

Nós não queremos dinheiro, mas apenas parte do seu tempo nas redes sociais, compartilhando as informações que podem ser acessados pela Fan Page do Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e site da AMARBRASIL. Por e-mail encaminharemos e receberemos sugestões. Confiamos na criatividade de cada um.

Cadastro de voluntários

Para se cadastrar acesse amarbrasil.org.br ou aqui

 

 

banne_3

AMARBRASIL e PULSARVIDA conquistam apoio de setores da sociedade

WhatsApp Image 2016-07-28 at 17

Os projetos e ações de interesse coletivo das duas entidades ganham força com parceria de autoridades e instituições.
A AMARBRASIL e PULSARVIDA já têm apoio de deputados federais e senadores. Entre os quais Sergio Reis, Roberto Sales, Vinicius Carvalho, Eduardo Amorim e José Medeiros. Além disso, ABTO e InCor. O objetivo é a execução do Projeto PULSAR VIDA, que busca a melhoria do Sistema Nacional de Transplante (SNT). Agora com o  SEBRAE de Goiás têm em vista um acordo de cooperação para desenvolver um modelo bem sucedido para profissionalizar os Estabelecimentos Hospitalares de Captação de Órgãos e Tecidos (EHCOTs) e as Comissões Infra-Hospitalares de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTTs).

O número desses centros hospitalares no país é baixo. São cerca de 600 estabelecimentos operando, e nem sempre com eficiência. Ambos são essenciais para o funcionamento do SNT, pois estão encarregados de identificar potenciais doadores, realizar exames clínicos e laboratoriais, fazer a devida manutenção do corpo e realizar a abordagem familiar para a autorização da doação de órgãos e tecidos.

A capacidade do Brasil é possuir aproximadamente 1.600 EHCOTs/CIHDOTTs. Conforme legislação, cada hospital com mais de 80 leitos é obrigado a contar com essas estruturas. Nesse quesito o país possui mais de 1.000 hospitais, que não tem a estrutura para captação, manutenção do corpo e de órgãos.

08

Como posso ajudar a AMARBRASIL e PULSARVIDA?

Os projetos e ações da ONG AMARBRASIL e PULSARVIDA são muitos, mas para continuar atuante seu apoio é fundamental.

Voluntariamente você pode ajudar ao seguir, curtir e compartilhar as informações de ambas as instituições publicadas na página do facebook, twitter e instragran.

Replicar também nas suas mídias sociais as notícias dos portais amarbrasil.org.br e pulsarvida.org.br para que mais pessoas possam conhecer o trabalho das duas entidades.

Cadastro de voluntários

Para se cadastrar acesse amarbrasil.org.br ou aqui e ajude a divulgar nas redes sociais.

Além disso, você pode depositar qualquer valor como forma de doação. Os canais para você doar são rápidos e simples, como o PayPal. E, ainda você pode se juntar ao nosso grupo de trabalho.

Projetos de impacto social 

AMARBRASIL e PULSARVIDA estão juntos no Projeto PULSAR VIDA, que busca melhoria para a área de transplantes de órgãos. Aumentar a oferta e aproveitamento de órgãos sólidos: rim, coração, fígado, pulmão, pâncreas e outros.

A PULSARVIDA está desenvolvendo o Projeto Gestão do Conhecimento Escolar e da Comunidade, visando disponibilizar amplamente o ensino através das Tecnologias da Informação e da Comunicação.

E, a AMARBRASIL com o Projeto Paternidade, que busca facilitar a identificação por exame de DNA, por meio de banco de dados pós-morte, federalização das investigações, fim do segredo de justiça e uso do processo judicial eletrônico.

 

Vamos juntos manter estes projetos ativos. Com você podemos mais!

 

 

 

teaching-928637_1920

Educação, bem público essencial para a Nação

Principal ferramenta de Cidadania que garante aos indivíduos exercer e conhecer seus direitos e deveres. 

A educação é um bem público, assegurada pela Constituição Federal a todos os cidadãos. Para tanto, sua qualidade é fundamental para garantir a construção de uma Nação, que todos possam exercer sua Cidadania plena com base nos deveres e direitos. E, somente o acesso dos indivíduos ao conhecimento pode garantir a qualidade de cidadão.

O Estado tem o dever de promover a educação a toda à população, mas como o governo não faz o investimento necessário, a iniciativa privada tem contribuído com o setor. Todavia, diretrizes e orientações educacionais devem ser regulamentas pelo setor público, evitando o avanço das ações educacionais privadas sobre o público.

Para tanto, o Conselho de Direitos da Organização das Nações Unidas (ONU) recomenda aos governos maior atenção na atuação dos fornecedores privados de serviços de educação. Além disso, em contrapartida, mais investimentos na educação pública. Neste viés, o Estado deve “acabar com todo o impacto negativo da comercialização da educação”, estabelecendo um marco regulatório para monitorar as ações do setor privado na educação.

Sociedade Civil Organizada 

sociedade civil organizada tem papel fundamental na participação e elaboração de políticas públicas para direcionar as atividades educacionais. Atenta aos preceitos básicos do ensino, a PULSARVIDA está desenvolvendo o Projeto Gestão do Conhecimento Escolar e da Comunidade, que visa, por meio das tecnologias de informação e comunicação, facilitar o acesso de todos à educação. 

Relatório e estudo da ONU, acesse aqui.

Outras fontes: Portal Rede Brasil Atual aqui.

Hemodiálise 160712 instragram

Brasil tem cerca de 120 mil pacientes renais crônicos

O caso que aconteceu em clínica de Goiânia revela situação dramática de quem necessita da hemodiálise.

O episódio recente que acometeu mais de 30 pacientes renais crônicos em tratamento na Nefroclínica, em Goiânia, não é um caso isolado. O problema é dramático para aproximadamente 120 mil pessoas que sofrem de insuficiência renal em todo o Brasil. Muitas dessas pessoas estão em tratamento com hemodiálise e na lista de espera para transplante de órgãos. Somente no ano passado, morreram 1.215 adultos e 11 crianças nesta situação. E, no primeiro semestre deste ano, 357 pessoas perderam a vida, sendo sete pediátricas.

Por outro lado, as clínicas de nefrologias têm reclamado dos altos custos para realizar o tratamento de diálise. No início deste ano, em Brasília foram fechadas 144 vagas para hemodiálise. A justificativa foi o baixo repasse do Ministério da Saúde para cada sessão realizada (R$ 179,03), para um custo de R$ 265, e uma média de três sessões semanais.

Existem aproximadamente 120 mil pacientes realizando diálise no país. Deste total, 42 mil pacientes renais crônicos são potenciais candidatos a transplantes. Mas somente metade destes (20.062) estão na lista de espera, sendo 257 crianças. Em 2015, foram realizados apenas 5.556 transplantes renais e no primeiro trimestre deste ano 1.287.

 

Espera por transplante  

Em 2015, a necessidade estimada para transplantes de rins, fígado, coração e pulmão era de 20.479 e foram realizados apenas 7.792 transplantes dos referidos órgãos. Para uma lista de espera de 28.041 adultos e 1.652 crianças, na qual morreram 2.333 e 64, respectivamente.

No ano passado, a estimativa de potenciais doadores era de 24 mil, porém foram notificados somente 9.698. Destes apenas 2.854 tornaram-se doadores efetivos de múltiplos órgãos.

Fonte: Os dados foram retirados do RBT (Registro Brasileiro de Transplante) da ABTO de 2015 e primeiro trimestre de 2016 e do projeto Pulsar Vida.

www.abto.org.br

www.pulsarvida.org.br

 

Setorial de comunicação da ONG AMARBRASIL

Nielton Santos

Jornalista da AMARBRASIL e PULSARVIDA

Registro Profissional nº 2635 – GO

(62) 3661 – 0709 / 9269 – 1008

 

surgery-676396_1280

Aumenta lista de espera por córnea em São Paulo

Antes, o estado exportava esse tipo de órgão. Mas, desde 2014, os pacientes precisam aguardar quase 8 meses pela cirurgia.

A lista de espera por cirurgia de córnea em São Paulo aumentou bastante este ano. Antes os pacientes eram atendidos de imediato. Mas a situação mudou desde 2014, agora é preciso aguardar em média 6 meses, podendo chegar a 8 meses pelo tratamento.

Segundo a Central de Transplantes de São Paulo, o motivo do aumento no número é que outros estados deixaram de realizar a cirurgia, e com isso, as pessoas têm buscado pelo tratamento no estado. E quem precisa da cirurgia, sabe que a rapidez é primordial para ter de volta a visão recuperada. 

O estado já foi referência nessa área, tanto que exportava para os demais estados esse tipo de órgão. A quantidade de captação de córnea é a mesma, assim como o número de transplantes. Apenas houve o aumento da demanda pela cirurgia.

Assista a matéria completa veiculada pela TV Globo, aqui.    

capa2

Fim do segredo de justiça na investigação de paternidade

Quebra do segredo de justiça nas investigações de paternidade por exame de DNA e o Processo Judicial Eletrônico.

O número de 10,5 milhões de eleitores sem identificação do pai informado à AMARBRASIL pelo TSE1 levou a entidade a defender proposta2 pela federalização da investigação de paternidade e criação de um cadastro nacional de identificação por exame de DNA de material coletado após a morte do cidadão, do ser humano, em território brasileiro.

Em aprofundamento ao tema e em favor dos objetivos a serem ultimados com estas propostas deve ser levantado também o questionamento à constitucionalidade do sigilo ou “segredo de justiça” nos processos de investigação de paternidade por exame de DNA e/ou paternidade afetiva.

Todos quantos operam ou já operaram em processos desta natureza não tem receio de dizer que, na maioria dos casos, o segredo imposto aos atos do processo está a proteger a intimidade da irresponsabilidade, da indignidade, da psicopatia social e patrimonial, não da criança, da cidadania ou da família.

O sigilo em tais casos tem origem na Lei 883 de 1949, que impedia o registro de filho fora do casamento, mas, em segredo de justiça, autorizava a ação de prestação de alimentos. A lei foi revogada em 2009, mas o novo CPC, no item II, do art. 189, manteve a obrigação do sigilo.

A identificação da origem biológica ou determinação da paternidade afetiva da criança ou do cidadão é interesse e ação de Estado, afeto à formação da raiz da sociedade e do Estado Brasileiro, de resgate da dignidade humana, de fundamento e construção da sociedade livre, justa e solidária prevista nos artigos 1º, II, III e 3º, I da Constituição da República.

O concreto dos números do TSE e a informação de que entre 500 e 600 mil crianças, por ano, são registradas sem identificação paterna, por si só dão conta de que o sigilo processual nos casos de filiação deve ser “ordenado, disciplinado e interpretado, conforme os valores e as normas fundamentais estabelecidos na Constituição da República Federativa do Brasil” (Art. 1º do novo CPC).

O segredo de justiça na investigação de paternidade deve ser exceção, e não regra geral, cabendo invocar, nas ações individuais, a declaração “incidenter tantum” de inconstitucionalidade parcial do item II, do art. 189, para excluir o sigilo como regra absoluta do processo.

Os motivos são os objetivos e os fundamentos determinados como base para a construção da sociedade brasileira, da nossa República, expostos nos artigos 1º, II, III e art. 3º, I da Constituição, e art. 1º do novo CPC.

Para a hipótese, tanto pesa o concreto do caso individual, quanto o coletivo de 17 a 20 milhões de brasileiros sem identificação paterna.

A norma constitucional de raiz e o concreto dos casos assim vistos, também deverão autorizar aos Juízes aplicar o Princípio da Conexão na investigação de paternidade no ambiente do processo judicial eletrônico (PJ-E).

Com o PJ-E e o Princípio da Conexão será possível a formulação de ações de investigações de buscas permanentes de identidade parental por DNA. Órgãos do Judiciário e da Advocacia poderão requerer e acessar cadastros de identificação genética por exame de DNA em todo o país e de todos os processos.

Vem aí uma revolução nos processos de investigação de paternidade no Brasil.

Uarian Ferreira

Advogado e Superintendente da AMARBRASIL

1.http://www.amarbrasil.org.br/wp-content/uploads/2016/04/o-TSE-respondeu.pdf

2.http://www.amarbrasil.org.br/2016/04/04/investigacao-de-paternidade-amarbrasil-busca-solucoes/